Make your own free website on Tripod.com

Friedrich Engels (1820 - 1895) Filósofo alemão. Nasceu em Barmen, na Westfália, filho de um rico industrial. Opôs-se ao poder monárquico prussiano. Prestou serviço militar em Berlim, travando contato com a filosofia hegeliana. Em 1844, o encontro com Karl Marx, em Paris, mudou conferiu novo direcionamento a seu pensamento. A partir deste momento, os dois filósofos iniciaram uma colaboração e troca de idéias que duraria por toda a vida. Engels desenvolveu várias atividades; além de dedicar-se aos escritos filosóficos, trabalhou em periódicos, trabalhou na fábrica de tecidos que seu pai possuía, em Manchester e participou intensamente da atividade política de seu tempo. Faleceu em Londres. Algumas de suas principais obras: Esboço de uma crítica da economia política; A situação da classe trabalhadora na Inglaterra; Ludwig Feuerbach e o fim da filosofia clássica alemã; Dialética da Natureza; Origem da família, da propriedade e do Estado; Sobre a autoridade, Contribuição ao problema da habitação; Do socialismo utópico ao socialismo científico. Contudo, seus escritos mais significativos foram elaborados em colaboração com Marx. Entre eles, citamos: A ideologia alemã; A sagrada família ou crítica da crítica crítica; Anti-Duhring; Manifesto do partido comunista. Devido à estreita colaboração entre Marx e Engels, torna-se difícil distinguir precisamente a contribuição trazida por cada um destes pensadores à doutrina que recebeu a denominação, na história da filosofia, de marxismo. Contudo, a filosofia de Engels, segundo seus escritos solitários permitem entrever, apresenta-se mais claramente como uma modalidade de materialismo. Segundo este autor, a grande divisão sistemática do pensamento reside na dicotomia entre idealismo e materialismo. Este radica na afirmação de que a matéria constitui o fundamento da realidade, sendo o espírito um fenômeno que dela se deriva. Engels ampliou a concepção de materialismo histórico, que compreende a história a partir das relações econômicas de produção, para a tese de um materialismo dialético, estendendo a predominância da matéria a todas as dimensões constitutivas da realidade. O modo como as relações se processam, com base no materialismo, é a dialética. Outra característica predominante no pensamento de Engels é a divisão entre infra-estrutura e superestrutura. A primeira diz respeito às condições econômicas de determinada época ou grupo social, condições fundamentais para o desenrolar de toda história. A segunda corresponde às idéias, convicções políticas, religiosas, econômicas, formadas, em última instância, a partir da infra-estrutura. Contudo, as relações entre os dois planos não é, no entender de Engels, unívoca e linearmente causal; trata-se de um âmbito complexo de relações, de modo que um estudo rigoroso do fenômeno histórico não pode descartar o papel desempenhado pela superestrutura, tanto quanto a análise das condições infra-estruturais que possibilitaram este fenômeno.